06 novembro 2009

Uma aula de sexta-feira à tarde...

Uma aula de sexta-feira à tarde num calor infernal...

Sempre uso o lúdico nas minhas atividades com as crianças. Acredito que ao brincar a aprendizagem aconteça de maneira mais agradável.
Hoje resolvi fazer uma brincadeira “diferente” com meus alunos. Eles quiseram brincar de “escolinha” dentro da sala de aula. Achei que ia virar a maior bagunça, mas resolvi aceitar o desafio. Eles escolheram quem seria a professora, qual seria a disposição das carteiras e quais materiais seriam utilizados.
No início foi a maior confusão, todos queriam dar sua opinião e falavam alto. A “professora” soube impor-se com “autoridade” e os demais alunos colaboraram na organização da sala.
Eles conseguiram mostrar-me exatamente como sou em sala de aula. Eles imitaram todos os meus gestos, minhas palavras e meu jeitão alegre de ser. Confesso que foi um dos mágicos momentos em sala de aula, pois pude refletir em alguns erros que cometo e não havia percebido. Sem contar, é claro, que a “aula” deles foi a de Matemática. A atividade foi a de recorte e colagem para entender a multiplicação, aula que eu havia dado durante a semana. Eu os auxiliei no que foi necessário, mas o cenário foi deles
O que mais me chamou a tenção, foi o fato deles participarem da atividade de forma tranqüila, mesmo com o intenso calor e por ser sexta feira.


Atualmente, as crianças vão perdendo o “espaço” de brincar que cada vez mais está afastando-se do seu cotidiano e ainda recebem estímulos para que, desde cedo, integrem se ao chamado mundo adulto.

Acredito que há necessidade de se ir além dos exercícios de lápis e papel, desprezando ou negligenciando o brincar. É muito importante resgatar o lúdico no processo ensino aprendizagem, para tanto é necessário que o professor reflita e reveja regularmente a sua práxis.

“Brincar com crianças não é perder tempo, é ganhá-lo; se é triste ver meninos sem escola, mais triste ainda é vê-los sentados enfileirados em salas sem ar, com exercícios estéreis, sem valor para a formação do homem”.
Carlos Drummond de Andrade

7 comentários:

ney disse...

heli,
Que beleza de experiência você teve com essa aula, um trabalho que certamente deixou a turma bem feliz. Nunca esqueço dos meus bons professores, de tudo que representaram para mim, sempre digo isso para todos aqui (mulher, filhos e netos). A mulher sabe bem isso, é coordenadora pedagógica de um imenso colégio.
Eu não era muito de gostar dos estudos, mas quando tive esses professores que sabiam motivar, transmitir emoção e prazer em ensinar, dei um grande salto e recuperei terreno, cheguei onde eu queria chegar.
Parabéns! Certamente mais um dia inesquecível nesse seu trabalho nobre de educar. ney.

heli disse...

Ney.
Foi muito bom interagir com as crianças e deixá-los fazer sua parte na construção do seu conhecimento.
Confesso que não é fácil usar estratégias de aprendizagem que saem do tão conhecido modelo de "giz e apagador", mas vale a pena ver o brilho no olhar das crianças, dando a entender que estão entendendo a nossa linguagem.
Também lembro com muito carinho, daqueles professores que souberam conquistar meu coração com seus modos únicos de ser e de agir.
bjs

Carlos Albuquerque disse...

Heli
Li esta sua experiência como professora. Fico com profunda admiração por si. Estou completamente de acordo com o que escreveu. Sem dúvida que é preciso resgatar o lúdico no processo ensino aprendizagem. Que bom seria que outros professores tivessem a lucidez que a Heli revela. Sabe, tive professores que desde a primária me marcaram. Já falei de um na história da "conta de dividir", no meu blog.Um dia destes falarei da minha professora de português no liceu (aí dizem vestibular, julgo), e, mais tarde, talvez, dos meus professores de inglês, filosofia e história das culturas, já na Faculdade, quando fiz a minha licenciatura.
Olhando para o panorama do ensino, hoje, sinto que fui afortunado com os professores que tive. Transmiti o ensinamento dos mestres aos meus filhos que, graças, os seguiram, e também os passaram aos meus netos!
A citação que faz de Drummond de Andrade devia ser afixada nas escolas.
Continue, Heli, nessa sua nobre missão de ensinar.
Beijos e um grande abraço.

heli disse...

Carlos,
Obrigada pelo carinhoso comentário.
Uma das coisas que me deixa feliz é ver que meus alunos estão entendendo aquilo que digo e faço em sala de aula.Não coloquei no post, que meus alunos apresentam dificuldades na aprendizagem, mas isso parece deixar de existir quando os ajudo a descobrir o conhecimento.
O que foi gratificante na minha experiência de hoje foi o sorriso de felicidade dos alunos.
Li seu post sobre a forma como aprendeu a divisão e achei fantástica a forma como seu professor a conduziu. Com certeza, estaremos lendo com muito interesse os seus relatos sobre os seus professores e quanto ao pensamento de Drummond, também acho que deveria fazer parte do dia a dia nas escolas.
Beijos

Dulce disse...

Heli, bom dia

Mas que professora incrivel é esta minha amiga, criativa, espirituosa, amiga e descontraida, feliz por fazer o que mais gosta, deixando em cada aluno a semente do querer aprender, do gostar de aprender. Tivessemos muito mais professoras com você e o ensino não seria, certamente, esse mostruário de erros, de descaso, esse caos que anda se formando em nossas escolas públicas. Parabéns, Heli. Agora entendi um pouco mais de sua personalidade e ratifico o que sempre disse: ser sua amiga é presente da vida, privilégio.
Beijos e lindo final de semana para você.

heli disse...

Dulce.

Há um pensamento de um grande educador que sempre procuro seguir:

“Ninguém ensina ninguém
Tampouco ninguém aprende sozinho
Os homens aprendem em comunhão
Mediatizados pelo mundo.”
(Paulo Freire)

Entendo que a escola deve ser um espaço de crescimento e transformação, e estar integrada à vida da criança, respeitando suas particularidades e aproveitando ao máximo o seu potencial intelectual e criativo.
Boom final de semana para voc~e também.
bjs

Elizete disse...

Pura mágia...a arte de interagir...sonhar..e aprender...dentro das cores do arco íris...trazendo fantasia as crianças...que nunca crescem...e se tornam..um eterno aprendiz. Que Deus nos ilumine sempre com essa arte maravilhosa!!! Mta Paz e Luz!!!