30 julho 2011

CHEGANDO JUNTO




foto ney (clique para ampliar)

Noite e dia, frio e calor, tristeza e alegria... e vamos aprendendo a viver nesse caminhar. Disse bem Guimarães Rosa:

O correr da vida embrulha tudo.
A vida é assim: esquenta e esfria,
aperta e daí afrouxa,
sossega e depois desinquieta.
O que ela quer da gente é coragem..

27 julho 2011

Linguagem amorosa


Fere de leve a frase... E esquece... Nada
Convém que se repita...
Só em linguagem amorosa agrada
A mesma coisa cem mil vezes dita.

Mario Quintana

22 julho 2011

O cântico da terra

Para desejar um bom final de semana a todos, deixo aqui um poema de Cora Coralina

O cântico da terra

Eu sou a terra, eu sou a vida.
Do meu barro primeiro veio o homem.
De mim veio a mulher e veio o amor.
Veio a árvore, veio a fonte.
Vem o fruto e vem a flor.

Eu sou a fonte original de toda vida.
Sou o chão que se prende à tua casa.
Sou a telha da coberta de teu lar.
A mina constante de teu poço.
Sou a espiga generosa de teu gado
e certeza tranqüila ao teu esforço.

Sou a razão de tua vida.
De mim vieste pela mão do Criador,
e a mim tu voltarás no fim da lida.
Só em mim acharás descanso e Paz.

Eu sou a grande Mãe Universal.
Tua filha, tua noiva e desposada.
A mulher e o ventre que fecundas.
Sou a gleba, a gestação, eu sou o amor.

A ti, ó lavrador, tudo quanto é meu.
Teu arado, tua foice, teu machado.
O berço pequenino de teu filho.
O algodão de tua veste
e o pão de tua casa.

E um dia bem distante
a mim tu voltarás.
E no canteiro materno de meu seio
tranqüilo dormirás.

Plantemos a roça.
Lavremos a gleba.
Cuidemos do ninho,
do gado e da tulha.
Fartura teremos
e donos de sítio
felizes seremos.

Cora Coralina

20 julho 2011

Aninha e suas pedras



Não te deixes destruir...
Ajuntando novas pedras
e construindo novos poemas.
Recria tua vida, sempre, sempre.
Remove pedras e planta roseiras e faz doces. Recomeça.
Faz de tua vida mesquinha
um poema.
E viverás no coração dos jovens
e na memória das gerações que hão de vir.
Esta fonte é para uso de todos os sedentos.
Toma a tua parte.
Vem a estas páginas
e não entraves seu uso
aos que têm sede.

Cora Coralina (Outubro, 1981)

19 julho 2011

Meu aniversário!!



Pois é, mais um ano de vida!!

No dia do meu aniversário, sinto-me nostálgica, um pouco ansiosa e reflexiva.
Deve ser porque sinto que a vida é tão breve...tão maravilhosa e que tenho que aproveitar e viver bem a cada novo dia que vejo raiar.
Nesses meus 56 anos de vida, sou muito grata a Deus pela minha família, tenho 4 filhos maravilhosos que sempre estão ao meu lado nos meus momentos bons e nos mais difíceis.

Tenho um esposo muito especial, que demonstra seu amor por mim em tudo aquilo que faz.Hoje ele me disse que sou a razão da sua existência.Isso me deixou emocionada e feliz...

Vou deixar aqui, um poema que gosto muito, para todos aqueles que por aqui passarem.

Vou deixar também, um delicioso bolo, para que possamos repartir as nossas alegrias na comemoração de mais um dia da minha vida.

Quem Sabe um Dia

Quem Sabe um Dia
Quem sabe um dia
Quem sabe um seremos
Quem sabe um viveremos
Quem sabe um morreremos!

Quem é que
Quem é macho
Quem é fêmea
Quem é humano, apenas!

Sabe amar
Sabe de mim e de si
Sabe de nós
Sabe ser um!

Um dia
Um mês
Um ano
Um(a) vida!

Sentir primeiro, pensar depois
Perdoar primeiro, julgar depois
Amar primeiro, educar depois
Esquecer primeiro, aprender depois

Libertar primeiro, ensinar depois
Alimentar primeiro, cantar depois

Possuir primeiro, contemplar depois
Agir primeiro, julgar depois

Navegar primeiro, aportar depois
Viver primeiro, morrer depois

Mário Quintana

PARABÉNS !

heli,

Feliz aniversário! Paz, saúde e alegrias... Abraço/ney.

18 julho 2011

Sonhos...

Apesar dos nossos defeitos, precisamos enxergar que somos pérolas únicas no teatro da vida e entender que não existem pessoas de sucesso e pessoas fracassadas. O que existem são pessoas que lutam pelos seus sonhos ou desistem deles.

Augusto Cury

PROCURA-SE BATEDOR DE PÊNALTIS

Sem comentários.

17 julho 2011

CHEGANDO JUNTO DE BONDE






foto ney (clique para ampliar)

Pois é... todo mundo sorrindo, brincando, conversando, ajudando o outro a subir no bonde. Se tivessem de carro estariam agoniados, solitários, procurando um lugar para estacionar, enfrentando o trânsito, os flanelinhas, as buzinas, chegando atrasado em casa e no trabalho. Para não dizer dos impostos, manutenções, seguros, juros, combustível, poluição etc.

Dá o que pensar...

13 julho 2011

O vento


As vezes ouço passar o vento; e só de ouvir o vento passar, vale a pena ter nascido.

Fernando Pessoa

12 julho 2011

FELICIDADE REALISTA

Corrigindo.

O texto abaixo é de Martha Medeiros


A princípio, bastaria ter saúde, dinheiro e amor, o que já é um pacote
louvável, mas nossos desejos são ainda mais complexos.

Não basta que a gente esteja sem febre: queremos, além de saúde, ser
magérrimos, sarados, irresistíveis.

Dinheiro? Não basta termos para pagar o aluguel, a comida e o cinema:
queremos a piscina olímpica e uma temporada num spa cinco estrelas.

E quanto ao amor? Ah, o amor.. não basta termos alguém com quem podemos
conversar, dividir uma pizza e fazer sexo de vez em quando. Isso é pensar
pequeno: queremos AMOR, todinho maiúsculo. Queremos estar visceralmente
apaixonados, queremos ser surpreendidos por declarações e presentes
inesperados, queremos jantar à luz de velas de segunda a domingo, queremos
sexo selvagem e diário, queremos ser felizes assim e não de outro jeito. É o
que dá ver tanta televisão.

Simplesmente esquecemos de tentar ser felizes de uma forma mais realista.

Ter um parceiro constante, pode ou não, ser sinônimo de felicidade. Você
pode ser feliz solteiro, feliz com uns romances ocasionais, feliz com um
parceiro, feliz sem nenhum. Não existe amor minúsculo, principalmente quando
se trata de amor-próprio.

Dinheiro é uma benção.
Quem tem, precisa aproveitá-lo, gastá-lo, usufruí-lo.
Não perder tempo juntando, juntando, juntando. Apenas o suficiente para se
sentir seguro, mas não aprisionado.
E se a gente tem pouco, é com este pouco que vai tentar segurar a onda,
buscando coisas que saiam de graça, como um pouco de humor, um pouco de fé e
um pouco de criatividade.

Ser feliz de uma forma realista é fazer o possível e aceitar o improvável.
Fazer exercícios sem almejar passarelas, trabalhar sem almejar o estrelato,
amar sem almejar o eterno.

Olhe para o relógio: hora de acordar.
É importante pensar-se ao extremo, buscar lá dentro o que nos mobiliza,
instiga e conduz mas sem exigir-se desumanamente. A vida não é um jogo onde
só quem testa seus limites é que leva o prêmio. Não sejamos vítimas ingênuas
desta tal competitividade.

Se a meta está alta demais, reduza-a. Se você não está de acordo com as
regras, demita-se.
Invente seu próprio jogo.

Faça o que for necessário para ser feliz. Mas não se esqueça de que a
felicidade é um sentimento simples, você pode encontrá-la e deixá-la ir
embora por não perceber sua simplicidade. Ela transmite paz e não
sentimentos fortes, que nos atormenta e provoca inquietude no nosso coração.
Isso pode ser alegria, paixão, entusiasmo, mas não felicidade...


08 julho 2011

VIAGENS NO TEMPO




















fotos ney (clique para ampliar)


E depois de uma viagem interativa por figuras e ambientes futuristas, cibernéticos, idealizados e projetados pela artista Mariko Mori, com os recursos digitais, fotográficos e demais tecnologias de ponta (Centro Cultural Banco do Brasil - postagem anterior), volto aos corredores culturais da cidade para sentir um pouco mais do Rio antigo. A Confeitaria Colombo, a Rua da Carioca, um passeio de bonde por Santa Teresa, dizem bem desses velhos tempos que permanecem jovens na nossa memória e encantam moradores e turistas. (ney).

07 julho 2011

APROVEITANDO O FRIO
























fotos ney (clique para ampliar)

E aproveitando esses dias frios fui dar uma volta no Rio antigo, visitando museus, igrejas, o chamado corredor cultural da cidade. Nunca vi este Rio tão frio assim. Mas é bom sair um pouco dos 40º.





06 julho 2011

CHEGANDO JUNTO NA CULTURA

Quem disse que somos apenas o país do futebol, do samba e da praia? Veja o ranking mundial onde o CCBB do Rio chega junto:

Louvre (Paris): 8,5 milhões de visitantes (1º lugar)
British Museum (Londres): 5,8 milhões
Metropolitan Museum of Art (Nova York): 5,2 milhões
Tate Modern (Londres): 5 milhões
National Gallery (Londres): 4,9 milhões
National Gallery of Art (Washington): 4,7 milhões
Museum of Modern Art (Nova York): 3,1 milhões
Centre Pompidou (Paris): 3,1 milhões
National Museum of Korea (Seoul): 3 milhões
Musée d’Orsay (Paris): 2,9 milhões

14º. Centro Cultural BB (Rio de Janeiro): 2,3 milhões

32º. Centro Cultural BB (Brasília): 1,2 milhões
65º. Centro Cultural BB (São Paulo): 756 mil
74º. MASP (São Paulo): 661 mil
99º. Pinacoteca do Estado (São Paulo): 500 mil

Reportagem completa com vídeo clique AQUI (ou em outros endereços no google):
http://g1.globo.com/bom-dia-brasil/noticia/2011/07/cinco-museus-brasileiros-estao-entre-os-cem-mais-visitados-do-mundo.html

04 julho 2011

Pai, começa o começo?






Quando eu era criança e pegava uma tangerina para descascar, corria para meu pai e pedia:

- “Pai, começa o começo?”.

O que eu queria era que ele fizesse o primeiro rasgo na casca, o mais difícil e resistente para as minhas pequenas mãos. Depois, sorridente, ele sempre acabava descascando toda a fruta para mim. Mas, outras vezes, eu mesmo tirava o restante da casca a partir daquele primeiro rasgo providencial que ele havia feito.



Meu pai faleceu há muito tempo (e há anos, muitos, aliás) não sou mais criança. Mesmo assim, sinto grande desejo de tê-lo ainda ao meu lado para, pelo menos, “começar o começo” de tantas cascas duras que encontro pelo caminho. Hoje, minhas “tangerinas” são outras.

Preciso “descascar” as dificuldades do trabalho, os obstáculos dos relacionamentos com amigos, os problemas no núcleo familiar, o esforço diário que é a construção do casamento, os retoques e pinceladas de sabedoria na imensa arte de viabilizar filhos realizados e felizes, ou então, o enfrentamento sempre tão difícil de doenças, perdas, traumas, separações, mortes, dificuldades financeiras e, até mesmo, as dúvidas e conflitos que nos afligem diante de decisões e desafios.

Em certas ocasiões, minhas tangerinas transformam-se em enormes abacaxis...

Lembro-me, então, que a segurança de ser atendido pelo papai quando lhe pedia para “começar o começo” era o que me dava a certeza que conseguiria chegar até ao último pedacinho da casca e saborear a fruta. O carinho e a atenção que eu recebia do meu pai me levaram a pedir ajuda a Deus, meu Pai do Céu, que nunca morre e sempre está ao meu lado. Meu pai terreno me ensinou que Deus, o Pai do Céu, é eterno e que Seu amor é a garantia das nossas vitórias.

Quando a vida parecer muito grossa e difícil, como a casca de uma tangerina para as mãos frágeis de uma criança, lembre-se de pedir a Deus:

“Pai, começa o começo!”. Ele não só “começará o começo”, mas resolverá toda a situação para você.

Não sei que tipo de dificuldade eu e você estamos enfrentando ou encontraremos pela frente neste ano. Sei apenas que vou me garantir no Amor Eterno de Deus para pedir, sempre que for preciso: “Pai, começa o começo!”.



Autor desconhecido

02 julho 2011

CHEGANDO JUNTO SOZINHA



foto ney (clique para ampliar).

Sozinha com seus pensamentos e a natureza... click!

01 julho 2011

Dedicação


"Foi o tempo que dedicaste à tua rosa que fez tua rosa tão importante".

( ANTOINE DE SAINT-EXUPÉRY )"