30 abril 2008

Olê, Olá (clique aqui - som).

http://www.youtube.com/watch?v=xwXZxexpi-I...
....
.....


Não chore ainda não, que eu tenho a impressão
Que o samba vem aí
É um samba tão imenso que eu às vezes penso
Que o próprio tempo vai parar pra ouvir
Luar, espere um pouco, que é pra o meu samba poder chegar
Eu sei que o violão está fraco, está rouco
Mas a minha voz não cansou de chamar
Olê, olê, olê, olá
Tem samba de sobra, ninguém quer sambar
Não há mais quem cante, nem há mais lugar
O sol chegou antes do samba chegar
Quem passa nem liga, já vai trabalhar
E você, minha amiga,
já pode chorar

CHEGANDO JUNTO NUMA VIAGEM ENCANTADA

Pássaros, flores, lagos, montanhas, desertos, lindas paisagens, luares, amores... e uma brasileira encantando o mundo com sua maravilhosa voz. Vale a pena conferir:

http://www.youtube.com/watch?v=0uvVQsTAqTU

http://www.youtube.com/watch?v=x1TXMpiqcDI&feature=related

http://www.youtube.com/watch?v=TevZJlnvs8I&feature=related

http://www.youtube.com/watch?v=IJ4UqykK90k&feature=related

http://www.youtube.com/watch?v=5JdzPs5Jils&feature=related

http://www.youtube.com/watch?v=CIuUt1XsK3k&feature=related

http://www.youtube.com/watch?v=dTzPhIwhC5c&feature=related

http://www.youtube.com/watch?v=xEOl9jJbJXM&feature=related

http://www.youtube.com/watch?v=IM4O8Ndxzx8&feature=related

http://www.youtube.com/watch?v=n7-uQ7T_7bU&feature=related

http://www.youtube.com/watch?v=qpwBQ2Fbow0&feature=related

28 abril 2008

CHEGANDO JUNTO DENTRO DO MUNDO DE VAN GOGH (clique aqui)


SE TUDO FOSSE PERFEITO (clique aqui)

MEDITAÇÃO - OLIVER SHANTI (clique aqui)

As lágrimas não são permanentes. Têm um fim. Assim como, a tempestade se acalma e dá lugar a um Sol radioso e escaldante. O amor expresso num sorriso é eterno e jamais perecerá. Somos nós Anjos que estamos junto de ti nas tuas aflições, cobrindo o teu semblante com o bálsamo reconfortante do contentamento e sobretudo da esperança. A alegria de viver, ao contrário da tristeza das amarguras que são efêmeras e temporárias, é permanente, ao mostrar-te de que existe algo mais, doce e afável, que o ritmo infernal na qual jogas diáriamente um pouco da tua vida.
(c) Gabriel, o Anjo da Anunciação

Outros textos em:

http://dominiodosanjos.blogs.sapo.pt/

Lista põe dois brasileiros entre 200 mais ricos da Grã-Bretanha - BBC.BRASIL

Dois brasileiros aparecem na lista dos moradores mais ricos da Grã-Bretanha, segundo uma lista anual publicada pelo jornal britânico Sunday Times.O dono da Natura, Antonio Luiz Seabra, e a viúva do banqueiro Edmond Safra, Lily Safra, aparecem nas posições 138 e 156 da lista, que compila as mil maiores fortunas do país.

Seabra, de 65 anos, mora em Londres e tem um patrimônio estimado em 600 milhões de libras (R$ 2 bi) pela revista americana Forbes.

Segundo o Sunday Times, a gaúcha Lily Safra teria uma fortuna estimada em 504 milhões de libras esterlinas (cerca de R$1,6 bi).

O magnata do setor siderúrgico Laskshmi Mittal, nascido na Índia, foi o primeiro colocado na lista dos bilionários da Grã-Bretanha, com uma fortuna de cerca de 27,5 bilhões de libras (cerca de R$ 92 bi).

=+=+=+=+=+=+=+=+=+=+=+=+=+=+=+=+=+=+=+=+=+=+=


Fora da Ordem - Caetano Veloso

Vapor barato, um mero serviçal do narcotráfico
Foi encontrado na ruína de uma escola em construção
Aqui tudo parece que é ainda construção e já é ruína
Tudo é menino e menina no olho da rua
O asfalto, a ponte o viaduto ganindo pra lua
Nada continua
E o cano da pistola que as crianças mordem
Reflete todas as cores da paisagem da cidade que é muito
Mais bonita e
Muito mais intensa do que no cartão postal
Alguma coisa está fora da ordem
Fora da nova ordem mundial...
Escuras coxas duras tuas duas de acrobata mulata
Tua batata da perna moderna, a trupe intrépida em que fluis
Te encontro em Sampa de onde mal se vê quem sobe ou desce arampa
Alguma coisa em nossa transa é quase luz forte demais
Parece pôr tudo à prova, parece fogo, parece, parece paz
Parece paz
Pletora de alegria, um show de Jorge Benjor dentro de nós
É muito, é muito, é total
Alguma coisa está fora da ordem
Fora da nova ordem mundial...
Meu canto esconde-se como um bando de Ianomâmis na floresta
Na minha testa caem, vêm colocar-se plumas de um velho cocar
Estou de pé em cima do monte de imundo lixo baiano
Cuspo chicletes do ódio no esgoto exposto do Leblon
Mas retribuo a piscadela do garoto de frente do Trianon
Eu sei o que é bom
Eu não espero pelo dia em que todos os homens concordem
Apenas sei de diversas harmonias possíveis sem juízo final
Alguma coisa está fora da ordem
Fora da nova ordem mundial...

27 abril 2008

CINEMA - BANQUETE DO AMOR (clique aqui)

Já tem uns 50 anos que sou um cinéfilo, vendo tudo, mas preferindo o que fala da vida, dos sentimentos, e esse filme vai no fundo na alma, nos encontros e desencontros, não desvenda os mistérios da vida, mas nos faz vivê-los intensamente, e não se perde o encanto, porque tudo se torna aprendizado e crescimento, na superação, no equilíbrio, no amadurecimento, as histórias de cada um se encaixam nos sonhos e realidades, e todas num perfeito roteiro e grande elenco. Dos melhores que já vi.

JARDS

O bom pai sempre ensina os melhores caminhos... BOA ESCOLHA !

MENGOOOOOOOOOOOOO!!!!!!


RAÍZES E ASAS

RAÍZES E ASAS - de Bhagwan Shree Rajneesh
Editora Cultrix

Bhagwan nos diz que as asas não podem se desenvolver sem as raízes, assim como uma árvore não pode florescer sem a semente e sem as raízes. O crescimento é contínuo. Você não pode passar por cima das dores do parto, do sofrimento, do esforço, do impulso para ir adiante, e começar com a flor, a meditação, o êxtase. É exatamente isso que tentamos fazer: ignorar nossas próprias doenças e fingir termos saúde.
Bhagwan é a favor de ambos: "isto", as raízes, e "aquilo", as asas. Ele diz que não há escolha a ser feita. Se você aceita as raízes, explore-as profunda e conscientemente, isto é, esteja onde você está, pois esse é o alimento que as raízes necessitam para desabrocharem em asas.
Em Raízes e Asas, Bhagwan não está explicando histórias zen, pois se estivesse, estaria apenas perpetuando todo o jogo do materialismo espiritual.
O que ele está fazendo é levar-nos mais a fundo no mistério dessas histórias. Ele diz que a vida não é um problema a ser resolvido, mas um mistério a ser vivido. Muitas vezes, na atividade de buscar, descobrir, nós nos fechamos para aquilo que buscamos, pela própria tensão que a busca causa.

SOBRE AS CABEÇAS OS URUBUS... – UMA CRÔNICA ACERCA DO QUE APRENDEMOS DESDE 1968

Texto publicado por Renato Saldanha Lima no site www.fazendomedia.com.br em 24 de março de 2008.
Clique no título e leia o texto.

"Tristes tempos, os amantes continuam a precisar de véus e sombras e lá, nos 60, parecia que tudo ia ser dado à luz. Hoje não há mais necessidade dos órgãos de repressão, porque há superabundância... de órgãos de depressão."

Diogo Mainardi encampa discurso neo-racista brasileiro

Publicado no site CONSCIÊNCIA.NET em 22 de abril de 2008.
clique no título e leia o texto.

23 abril 2008

O MAC VOA ... (clique aqui)

FILMEI HOJE CEDO NA ORLA... clique em play >

video

Filmado hoje por neyniteroi - Aperte > Play

O surf em Niterói acontece na Região Oceânica, nas praias fora da Baia de Guanabara, principalmente Itacoatiara (um dos bons points do Brasil), mas no outono/inverno acontece ressacas, e também aqui na orla dá para surfar.

DE BICICLETA HOJE NA ORLA - clique PLAY >

video

Estou ai de bicicleta na orla de Niterói, Boa Viagem, Museu de Arte Contemporânea, Icarai e vista da Baia de Guanabara, vista do Rio, Pão-de-Açúcar, Corcovado etc.

Outras visões do MAC: http://www.youtube.com/watch?v=QnlSCx9Cn5c&feature=related

http://www.youtube.com/watch?v=FsLXwFvoFhc

17 abril 2008

QUANDO NÃO SE CHEGA JUNTO... e não dizemos nada.

MAIAKOVSKI
Poeta russo “suicidado” após a revolução de Lênin... escreveu ainda no início do século XX.

Na primeira noite,
eles se aproximam
e colhem uma flor de nosso jardim.
E não dizemos nada.

Na segunda noite,
já não se escondem,
pisam as flores, matam nosso cão.
E não dizemos nada.

Até que um dia, o mais frágil deles,
entra sozinho em nossa casa, rouba-nos a lua, e,
conhecendo nosso medo,
arranca-nos a voz da garganta.

E porque não dissemos nada,
já não podemos dizer nada

BOM DEMAIS O JARDIM BOTÂNICO...


16 abril 2008

HOJE NO JARDIM BOTÂNICO - RIO
























































Bar ruim é lindo, bicho - Antonio Prata

Bar ruim é lindo, bicho
(Antonio Prata)

Eu sou meio intelectual, meio de esquerda, por isso freqüento bares meio ruins.

Não sei se você sabe, mas nós, meio intelectuais, meio de esquerda, nos julgamos a vanguarda do proletariado, há mais de cento e cinqüenta anos. (Deve ter alguma coisa de errado com uma vanguarda de mais de cento e cinqüenta anos, mas tudo bem).

No bar ruim que ando freqüentando ultimamente o proletariado atende por Betão - é o garçom, que cumprimento com um tapinha nas costas, acreditando resolver aí quinhentos anos de história.

Nós, meio intelectuais, meio de esquerda, adoramos ficar "amigos" do garçom, com quem falamos sobre futebol enquanto nossos amigos não chegam para falarmos de literatura.

- Ô Betão, traz mais uma pra a gente - eu digo, com os cotovelos apoiados na mesa bamba de lata, e me sinto parte dessa coisa linda que é o Brasil.

Nós, meio intelectuais, meio de esquerda, adoramos fazer parte dessa coisa linda que é o Brasil, por isso vamos a bares ruins, que têm mais a cara do Brasil que os bares bons, onde se serve petit gâteau e não tem frango à passarinho ou carne-de-sol com macaxeira, que são os pratos tradicionais da nossa cozinha. Se bem que nós, meio intelectuais, meio de esquerda, quando convidamos uma moça para sair pela primeira vez, atacamos mais de petit gâteau do que de frango à passarinho, porque a gente gosta do Brasil e tal, mas na hora do vamos ver uma europazinha bem que ajuda.

Nós, meio intelectuais, meio de esquerda, gostamos do Brasil, mas muito bem diagramado. Não é qualquer Brasil. Assim como não é qualquer bar ruim. Tem que ser um bar ruim autêntico, um boteco, com mesa de lata, copo americano e, se tiver porção de carne-de-sol, uma lágrima imediatamente desponta em nossos olhos, meio de canto, meio escondida. Quando um de nós, meio intelectual, meio de esquerda, descobre um novo bar ruim que nenhum outro meio intelectual, meio de esquerda, freqüenta, não nos contemos: ligamos pra turma inteira de meio intelectuais, meio de esquerda e decretamos que aquele lá é o nosso novo bar ruim.

O problema é que aos poucos o bar ruim vai se tornando cult, vai sendo freqüentado por vários meio intelectuais, meio de esquerda e universitárias mais ou menos gostosas. Até que uma hora sai na Vejinha como ponto freqüentado por artistas, cineastas e universitários e, um belo dia, a gente chega no bar ruim e tá cheio de gente que não é nem meio intelectual nem meio de esquerda e foi lá para ver se tem mesmo artistas, cineastas e, principalmente, universitárias mais ou menos gostosas. Aí a gente diz: eu gostava disso aqui antes, quando só vinha a minha turma de meio intelectuais, meio de esquerda, as universitárias mais ou menos gostosas e uns velhos bêbados que jogavam dominó. Porque nós, meio intelectuais, meio de esquerda, adoramos dizer que freqüentávamos o bar antes de ele ficar famoso, íamos a tal praia antes de ela encher de gente, ouvíamos a banda antes de tocar na MTV. Nós gostamos dos pobres que estavam na praia antes, uns pobres que sabem subir em coqueiro e usam sandália de couro, isso a gente acha lindo, mas a gente detesta os pobres que chegam depois, de Chevette e chinelo Rider. Esse pobre não, a gente gosta do pobre autêntico, do Brasil autêntico. E a gente abomina a Vejinha, abomina mesmo, acima de tudo.

Os donos dos bares ruins que a gente freqüenta se dividem em dois tipos: os que entendem a gente e os que não entendem. Os que entendem percebem qual é a nossa, mantêm o bar autenticamente ruim, chamam uns primos do cunhado para tocar samba de roda toda sexta-feira, introduzem bolinho de bacalhau no cardápio e aumentam cinqüenta por cento o preço de tudo. (Eles sacam que nós, meio intelectuais, meio de esquerda, somos meio bem de vida e nos dispomos a pagar caro por aquilo que tem cara de barato). Os donos que não entendem qual é a nossa, diante da invasão, trocam as mesas de lata por umas de fórmica imitando mármore, azulejam a parede e põem um som estéreo tocando reggae. Aí eles se dão mal, porque a gente odeia isso, a gente gosta, como já disse algumas vezes, é daquela coisa autêntica, tão Brasil, tão raiz.

Não pense que é fácil ser meio intelectual, meio de esquerda em nosso país. A cada dia está mais difícil encontrar bares ruins do jeito que a gente gosta, os pobres estão todos de chinelos Rider e a Vejinha sempre alerta, pronta para encher nossos bares ruins de gente jovem e bonita e a difundir o petit gâteau pelos quatro cantos do globo. Para desespero dos meio intelectuais, meio de esquerda que, como eu, por questões ideológicas, preferem frango à passarinho e carne-de-sol com macaxeira (que é a mesma coisa que mandioca, mas é como se diz lá no Nordeste, e nós, meio intelectuais, meio de esquerda, achamos que o Nordeste é muito mais autêntico que o Sudeste e preferimos esse termo, macaxeira, que é bem mais assim Câmara Cascudo, saca?.

- Ô Betão, vê uma cachaça aqui pra mim. De Salinas quais que tem?



Texto integrante do volume As Cem Melhores Crônicas Brasileiras,
organizado por Joaquim Ferreira dos Santos.

15 abril 2008

HELI

É, Heli, essa turma não perde tempo, vão endemoninhar a endemia, e será mais um fardo nos ombros DELE. E ficam as atitudes em segundo plano.
E não param de aparecer "soluções", e o mosquito volta a cada ano mais serelepe. Veja ai a vacina homeopática:

http://www.macae.rj.gov.br/noticias/mostranot.asp?id=10341

Chegando junto com as irresponsabilidades...

Pastor oferece poção anti-dengue para fiéis tomarem durante cultosPublicada em 15/04/2008 às 00h01m

O GloboRIO -

"Proteção divina contra a dengue". A promessa, contida num copinho de plástico, era oferecida durante um culto da Igreja Universal do Reino de Deus na Catedral Mundial da Fé, em Del Castilho. Das mãos do pastor Adalberto, os fiéis recebiam uma dose de óleo misturado a azeite. Como noticiou Ancelmo Gois em sua coluna no GLOBO, a instituição neopentecostal vem realizando atos contra a doença nas manhãs dominicais. O panfleto que convida os fiéis para o culto diz que eles receberão "um cálice com óleo santo, para que todos sejam livres desta epidemia". No último domingo, repórteres do GLOBO testemunharam que o pastor recomendou que o azeite fosse tomado. No fim, o pastor distribuiu ainda uma capa protetora para caixas d'água de 500 litros e disse que haveria outros cultos às 15h e às 18h. Ao ser informado sobre a distribuição do "óleo santo" pela seita, o Ministério da Saúde afirmou em nota que recomenda que as pessoaos não se auto-mediquem e procurem atendimento médico. O órgão alertou ainda que a dengue é uma doença grave e pode matar. Por fim, reiterou que não existe vacina nem qualquer medicamento específico para a doença. Enquanto isso, pesquisadores indianos comprovaram que o extrato da planta Solanum villosum tem ação repelente e é eficaz no combate às larvas do Aedes aegypti, como também noticiou Ancelmo Gois. Para o entomologista Anthony Érico Guimarães, da Fiocruz, trata-se apenas de mais uma arma de combate à epidemia, que não deve ser vista como "a salvação da pátria". Cerca de 200 técnicos da Fiocruz e voluntários se uniram nesta segunda-feira a moradores de 15 favelas da região de Manguinhos para combater focos de Aedes e coletaram amostras de larvas em 121 focos. Várias estavam em caixas d'água destampadas ou mal vedadas. As larvas serão examinadas pelo Laboratório de Controle de Pragas e Vetores da Diretoria de Administração do Campus, em conjunto com pesquisadores. O mutirão foi uma iniciativa de líderes comunitários, que procuraram o instituto para obter apoio técnico.

14 abril 2008

13 abril 2008

UM BEIJO ROUBADO (clique aqui)

Falar de amor, paixão, encontros e desencontros, é coisa que WONG KAR WAI sabe muito bem, e depois de DIAS SELVAGENS, um longo período de interrupção, AMOR A FLOR DA PELE e 2046 (de um jeito oriental), chega agora nas telas, de um jeito ocidental, em UM BEIJO ROUBADO.
Sua câmera tem um jeito de espionar, olhar, fazer enxergar a alma de tudo; se move lentamente por trás de colunas, janelas, ou chega bem perto, no ritmo do momento, da paixão; cada imagem, detalhe, tem um significado; as cores, a música, o foco nos passam sensações, vibrações; tudo é denso, envolvente, os encontros e desencontros trazem tudo a flor da pele e nos fazem viver todas as emoções...

http://www.youtube.com/watch?v=iScGsN8szHw

CAMINHOS DA FELICIDADE - (clique aqui)

SOM - http://www.youtube.com/watch?v=15aUbEmbFyc

12 abril 2008

CHEGANDO JUNTO COM A MULHER (clique aqui)

Tem razão o Erasmo, claro! E são elas que nos dão a vida, o alimento, a educação, o amor... não passamos de coadjuvantes, com certeza! E ainda com a triste mania de querer cantar de galo, mas é só impressão, fantasia.

UMA MÚSICA BEM ANOS DOURADOS

E essa música foi uma daquelas que marcou bem os famosos ANOS DOURADOS. E quando tocava corríamos para buscar o par preferido, que nem sempre encontrávamos, outro já tinha tirado. Ficávamos então com a cara de "mané", e quem não dançava acabava ficando no "chá de cadeira".
http://www.youtube.com/watch?v=Q3-V0rBIK_E

http://www.youtube.com/watch?v=AGzXq7syAE4

CHEGANDO JUNTO NUM JANTAR EM FAMÍLIA...



.

.

.

.

.

.

.

.

E nesta sexta-feira tivemos um jantar em família, o filho junto ao espelho, a filha do outro lado, a nora, o namorado da filha, as netas. Os netos, adolescentes, não se poderia esperar que ai estivessem, numa sexta à noite. A mulher sempre se escondendo da câmera, acabou refletida no espelho. E ficamos vendo uma caixa ENORME de fotos antigas, revendo os caminhos percorridos, todos tão diferentes em roupas, cabelos, tamanhos, pesos. RECORDAR É VIVER.

11 abril 2008

CHEGANDO JUNTO COM O OUTONO... clique aqui






.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
E já que estamos no OUTONO, que teve seu início em 20 de março aqui no nosso hemisfério sul, lembramos aqui da bela estação, na linda página de Oriza Martins (link acima). E que as temperaturas mais amenas, e menos chuvas, afastem esse dengoso (Aedes Aegypti) do nosso convívio.



...a vida se move em ciclos

de fazer e desfazer,

que sentimentos arrefecem,

que ardentes paixões esfriam,

que toda glória é efêmera...

mas que os ciclos favorecem

o renascer da esperança -

– e esse, sim, é duradouro... é eterno

em todos os corações humanos...


link acima.

09 abril 2008

ADEUS MINHA VARANDA.



.

.

.

.

.

.

.

.

Nem é grande a varanda, mas dá para pegar um sol da manhã, tomar uma ducha, ver as estrelas, a LUA surgindo, agora já era... vou ficar de cara para a parede, um novo edifício bem coladinho, chegando junto. Que ao menos seja uma boa vizinha (rs).

Ainda bem que tem tem as janelas da frente, uma avenida bem larga, duas piastas com um canal no meio, muito verde e tranquilidade. Mas não pára de fazer prédio, Niterói virou uma selva de pedra, com um trânsito caótico. E o bate estaca, esse ai azul e amarelo, faz uma delícia de barulho, e depois vem a poeira.

08 abril 2008

QUANDO O PÚBLICO CHEGA JUNTO DO ARTISTA - Haja coração! Clique aqui.

PERHAPS LOVE - Talvez O Amor - Clique aqui

Perhaps Love
Talvez O AmorJohn Denver & Plácido Domingo


Perhaps love is like a resting place,
Talvez o amor seja como um local de descanso,
a shelter from the storm
um abrigo da tempestade.
It exists to give you comfort,
Ele existe para te oferecer conforto,
it is there to keep you warm
ele está lá para te manter aquecido.
And in those times of trouble
E naqueles tempos de dificuldade,
when you are most alone
quando você está na maior parte [do tempo] sozinho,
The memory of love will bring you home
A lembrança do amor vai te trazer para casa...
Perhaps love is like a window, perhaps an open door
Talvez o amor seja como uma janela, talvez uma porta aberta,
It invites you to come closer, it wants to show you more
Ele te convida para chegar mais perto, ele quer te mostrar mais.
And even if you lose yourself and don't know what to do
E mesmo se você perder a si mesmo e não souber o que fazer,
The memory of love will see you through
A lembrança do amor vai te acompanhar até o fim.
Love to some is like a cloud,
O amor para alguns é como uma nuvem,
to some as strong as steel
para alguns [é] tão forte como o aço.
For some a way of living,
Para alguns [é] um modo de vida,
for some a way to feel
para alguns [é] um modo de sentir.
And some say love is holding on
E alguns dizem que o amor está persistindo
and some say letting go
e alguns dizem que está desistindo.
And some say love is everything,
E alguns dizem que o amor é tudo
and some say they don't know
e alguns dizem que não sabem...
Perhaps love is like the ocean,
Talvez o amor seja como o oceano,
full of conflict, full of pain
repleto de conflito, repleto de dor.
Like a fire when it's cold outside,
Como uma chama quando está frio lá fora,
thunder when it rains
[como] um trovão quando chove.
If I should live forever,
Se eu viver eternamente
and all my dreams come true
e todos os meus sonhos tornarem-se realidade,
My memories of love will be of you
Minha lembranças do amor serão sobre você...

07 abril 2008

CHEGANDO JUNTO NO TANGO - clique aqui



.

.

.

.

.

.

.

.

.

Que pena! Assim não dá mais, só na próxima vida (?). Mas um bolero, dois pra lá/dois pra cá, bem suave, acho que ainda dá... prometo não pisar no pezinho e encolher a barriga. Vale o clima!

06 abril 2008

PEDALANDO NA ORLA...




UM BOM DIA DE DOMINGO PARA TODOS OS DIAS...

E minha amiga, Dulce, desejando um bom domingo, descreveu com amor e encantamento, esses belos dias que podemos aprender a ver todos os dias, quando nos entendemos em harmonia com esse longo caminhar...

"Mais um domingo... Nos dias de "antigamente" domingo era dia de missa, de passeio, de reunião de família, de cinema na matinée, de "fazer nada", de ir a praia, ao parque, ao zoo, de sair com o namorado, de sei lá mais o que, mas era sempre um dia especial. Hoje, todos os dias são especiais, porque são muito mais preciosos. Cada dia que nasce é especial. Cada momento que vivemos, cada sorriso que colhemos, cada sonho que mantemos, cada abraço ou cada carinho que recebemos, cada gesto de amizade ou de amor que despertamos, coisas que antes passavam sem serem as vezes sequer percebidas, agora são tão especiais, tão caras a nossas almas, porque com a maturidade aprendemos o real valor de cada coisa, de cada gesto, de cada sentimento. Assim, cada dia que nasce vem como um raio de sol, ainda que amanheça chovendo e dentro de nós todas a noites chegam com um céu estrelado e um imenso luar a banhar nossos corações, se os tivermos abertos para a vida, para o amor, para a amizade, para nós mesmos..."

04 abril 2008

O MUNDO ACABOU - Clique aqui

COMO É BOM... Clique aqui

CHEGANDO JUNTO NOS SONHOS... Clique aqui

Não há tempo para nós
Não há lugar para nós
O que é isso que constrói nosso sonhose depois os afastam?
Quem quer viver para sempre?
Quem quer viver para sempre?
Não há chance para nós
Tudo está decidido por nós
Este mundo possui apenas um doce momentopara nós
Quem quer viver para sempre?
Quem ousa amar para sempre
Quando o amor deve morrer?
Oh! Toque minhas lágrimas com seus lábios
Toque meu mundo com a ponta dos seus dedos
E nós teremos o "sempre"
E nós amaremos para sempre
O infinito é nosso hoje
Quem quer viver para sempre?
Quem quer viver para sempre?
Quem espera para sempre?

02 abril 2008

CHEGANDO JUNTO COM A BOA MÚSICA QUE FICOU NO TEMPO - Clique aqui

O Cole Porter foi mesmo um grande compositor, amante da boa música e das paixões mais radicais, inclusive as menos convencionaiss, e Hollywood produziu 2 grandes filmes sobre sua vida, e esse mais recente (2004), foi mesmo primoroso em todos os detalhes. Sua obra deu origem a grandes musicais, e no teatro foram muitos os trabalhos sobre sua vida (vide link acima):

http://www.youtube.com/watch?v=NcMxlpOJ_6I

http://www.youtube.com/watch?v=jkKI1u3S0J0

http://www.youtube.com/watch?v=y0SioRs0Isk