09 novembro 2009

SABIÁ (clique aqui)



Fotos ney. Estrada Fróes-Niterói e Jardim Botânico do Rio de Janeiro.
Clique no TÍTULO acima.
Vou voltar, sei que ainda vou voltar, para o meu lugar, foi lá e é ainda lá, que eu hei de ouvir cantar uma sabiá... Vou deitar à sombra, de um palmeira, que já não há, colher a flor, que já não dá, e algum amor, talvez possa espantar, as noites que eu não queira, e anunciar o dia... Não vai ser em vão, que fiz tantos planos, de me enganar, como fiz enganos, de me encontrar, como fiz estradas, de me perder, fiz de tudo e nada, de te esquecer... Sei que o amor existe, não sou mais triste, e a nova vida já vai chegar, e a solidão vai se acabar.
Quanta música e poesia essa turma nos trouxe, quantas alegrias, levando nossas canções por todo o mundo. ney/

3 comentários:

heli disse...

Ney.
Essa canção é belíssima, ela marcou uma época, onde a "liberdade" de expressão não era permitida.
Adorei a imagem da sabiá, com certeza, ela está a cantar...
beijos,
heli

Fernanda disse...

Amigo Ney,

Não conhecia, lamento imenso, mas gostei muito.

Curiosamente, gosto muito de Xico Buarque mas esse tema não foi muito divulgado aqui.

Obrigada por partilhar,

Abraço
Fernanda Ferreira

ney disse...

heli e Fernanda,
Agradeço os comentários, esse chegar junto que sempre nos anima a continuar chegando. Sabiá ganhou o Festival Internacional da Canção lá em 1968, e dificilmente o 1º lugar agradava a todos, existiam torcidas organizadas, muitos artistas eram vaiados. Muitos casos ficaram conhecidos, como o do Sergio Ricardo, quebrando o violão e jogando para a multidão = http://www.youtube.com/watch?v=Zdn3qtlLObg&feature=related.
vbjs/ney