14 novembro 2009

HORA DO RECREIO



Sempre gostei da hora do recreio, e agora na velhice ela ficou maior, o dia cresce na aposentadoria. E se dá vontade de trabalhar, a gente senta num canto quietinho e espera a vontade passar (rs).
Ficava feliz quando aquela campainha tocava. Mas lá na cantina do colégio só ficava vendo a turma comendo o pão quentinho com queijo e presunto, eu levava merenda (pão com goiabada). Foram tempos de vacas magras, mas eu vivia bem feliz.
Mas agora faz parte do meu percurso passar na padaria e tomar um lanchinho. Vou nessa, hora de voltar para os serviços gerais, o aposentado sempre vira o "JAQUETAI"... já que está ai faz isso, aquilo. (ney).

8 comentários:

heli disse...

Ney.
O recreio em nosso tempo era de muita brincadeira, muita alegria.
Atualmente,as crianças apenas correm feito uns doidos, não sabem mais "brincar".Após o "recreio", há o atendimento aos que saem machucados.Muitas vezes o pronto atendimento precisa ser chamado para que os primeiros socorros sejam feitos na escola.Os pais são chamados e ficam no compromisso de observar as reações que vão ocorrendo após esse atendimento.
As brincadeiras dos nossos tempos ficaram no esquecimento.Atualmente surgem alguns projetos na tentativa de resgatar esse elo perdido, mas acaba sempre na mesmice.Crianças correndo de um lado para o outro, se batendo, se quebrando.
Acho isso muito triste, mas a ansiedade das crianças pelo horário do "recreio" ainda é a mesma.
Quanto ao "recreio" pós aposentadoria:
O jeito é aproveitar o máximo...

ney disse...

Verdade, heli, elos perdidos. E não é só a hora do recreio, não podem ir a pé ou do bicicleta para o colégio, as crianças perderam as ruas e as brincadeiras. E vivem agendadas desde muito cedo, aula disso, daquilo. ney.

Claudio disse...

Olá, amigo Ney, estava comentando o post sobre o Canal 100, mas ele sumiu de repente...

Canal 100 para mim sabor de Mentex... Nada melhor que ver aquela bela fotografia enquanto procurávamos a cadeira no cinema...

Infelizmente nem sempre passava Canal 100. Tínhamos de aturar o puxa-saquismo e bajulação de Jean Manzon e similares.

Como disse Millôr Fernandes, colega de Manzon em "O Cruzeiro":

- Ao contrário de Cartier-Bresson, Manzon não espera "o momento decisivo". Ele o constrói. Sempre conseguia o que queria. Ah, antes que eu me esqueça: na época ética era apenas uma palavra grega.

Aliás belas fotos da época nesta página:
http://veja.abril.com.br/240107/p_089.html

É isso aí, amigo, desculpe pelo pitaco.

Abraço.
--
Claudio
http://gatt0s.blogspot.com/

Fernanda disse...

Olá amigo Ney,

Adorei essa... do quando dá vontade de trabalhar espera sentado que ela passe ;))))
Eu triciclo, sabia??? É verdade, e pode rir à vontade... tenho uma tricicleta porque nunca consegui aprender a andar de bicla.
Meu marido faz down hill, BTT, tudo, eu fico pelas 3 rodas, mas dá-me muito gozo nos dias quentes...maravilha!!!

Bfs e abraço,

ney disse...

Claudio,
A internet hoje está instável, e ficou ruim a postagem, muitos não conheceram o CANAL 100, ficou tudo meio pedido no espaço, então exclui. Fiz uma outra, está no rascunho, vou tentar melhorar. Abraço, ney.

ney disse...

Fernanda,
Desde muito cedo a bicicleta foi minha companheira, ia para todo lugar com ela, e assim ficou. Tive motos, tive e tenho carro, andei por esses trânsitos loucos de Rio, São Paulo, Niterói, mas é na bike que vou tranquilo. Por aqui tem muitos triciclos, a maioria nesses serviços de entregas, mas tem de cadeirinha e capota, mães que levam os filhos no colégio, em lugares de passeio e turismo existem muitos. Mas a pedalada é bem mais difícil, haja perna e disposição (rs).
Para o aposentado nunca faltam tarefas, mas não temos os compromissos, horários, e tudo fica bem fácil. Abraço/ney.

Reino da Fantasia disse...

Pão com goiabada é uma delícia,melhor que presunto.bjs

ney disse...

Mas é mesmo uma delícia pão com goiabada, com mariola (rs). Uma boa manteiga, mortadela... Delícia! ney.