02 novembro 2009

CLICK, CLICK, CLICK...


Clique sobre a imagem para ampliá-la.
Preciso esquecer essa máquina em casa... (rs).

PENSAMENTO/REFLEXÃO
Alma e Realidade - Duas Paisagens Sobrepostas.
1 - Em todo o momento de actividade mental acontece em nós um duplo fenómeno de percepção: ao mesmo tempo que tempos consciência de um estado de alma, temos diante de nós, impressionando-nos os sentidos que estão virados para o exterior, uma paisagem qualquer, entendendo por paisagem, para conveniência de frases, tudo o que forma o mundo exterior num determinado momento da nossa percepção.
2 - Todo o estado de alma é uma passagem. Isto é, todo o estado de alma é não só representável por uma paisagem, mas verdadeiramente uma paisagem. Há em nós um espaço interior onde a matéria da nossa vida física se agita. Assim uma tristeza é um lago morto dentro de nós, uma alegria um dia de sol no nosso espírito. E - mesmo que se não queira admitir que todo o estado de alma é uma paisagem - pode ao menos admitir-se que todo o estado de alma se pode representar por uma paisagem. Se eu disser "Há sol nos meus pensamentos", ninguém compreenderá que os meus pensamentos são tristes.
3 - Assim, tendo nós, ao mesmo tempo, consciência do exterior e do nosso espírito, e sendo o nosso espírito uma paisagem, tempos ao mesmo tempo consciência de duas paisagens. Ora, essas paisagens fundem-se, interpenetram-se, de modo que o nosso estado de alma, seja ele qual for, sofre um pouco da paisagem que estamos vendo - num dia de sol uma alma triste não pode estar tão triste como num dia de chuva - e, também, a paisagem exterior sofre do nosso estado de alma - é de todos os tempos dizer-se, sobretudo em verso, coisas como que «na ausência da amada o sol não brilha», e outras coisas assim. De maneira que a arte que queira representar bem a realidade terá de a dar através duma representação simultânea da paisagem interior e da paisagem exterior. Resulta que terá de tentar dar uma intersecção de duas paisagens. Têm de ser duas paisagens, mas pode ser - não se querendo admitir que um estado de alma é uma paisagem - que se queira simplesmente interseccionar um estado de alma (puro e simples sentimento) com a paisagem exterior. [...]
Fernando Pessoa, in 'Cancioneiro'
http://www.citador.pt/pensar.php?op=10&refid=200809131200
VEJA também ATRAVESSA ESSA PAISAGEM MEU SONHO: http://www.lovers-poems.com/poesia-fernando-pessoa-atravessa-esta-paisagem.html
PAISAGENS, QUERO-AS COMIGO: http://www.revista.agulha.nom.br/fpessoa262.html

2 comentários:

Fernanda disse...

Olá Novamente Ney,

Está muito activo...é da Primavera? Sabe que em mim a Primavera tem esse efeito...falo em brotar, de me sentir ainda mais estimulada e viçosa...tal como as árvores:))))

Adorei este texto, é verdade sim que há identificações indubitáveis com a natureza e o homem... "o sol no teu olhar" ou " ela ficou gelada como numa noite de Inverno", há montes de expressões deste género...

Vá aproveitando esse azul e o sol, faça-me inveja até eu ficar verde:(

Abraço

ney disse...

Obrigado, Fernanda, por essa presença amiga, esse incentivo, energia, calor humano. Nessas trocas vamos aprendendo, interagindo no universo, nos tornando mais humanos.
O Sol agora começa a esquentar, e no verão fica bem quente, não é fácil de aguentar... mas sempre será bem-vindo. Abraço/ney.