30 outubro 2009

UM DIA AZUL



Eu já estava esquecendo como era um dia azul, de tantas chuvas nesta primavera. Mas aconteceu nessa manhã de sexta-feira. Bom demais!
Mas agora, à tarde, já estavam as nuvens passando próximas, embora bem brancas, esparsas, criando apenas serenas sombras, que me lembraram a bela poesia de Cecília Meireles:
Murmúrio.
Traze-me um pouco das sombras serenas
que as nuvens transportam por cima do dia!
Um pouco de sombra, apenas,
- vê que nem te peço alegria.

Traze-me um pouco da alvura dos luares
que a noite sustenta no teu coração!
A alvura, apenas, dos ares:
- vê que nem te peço ilusão.

Traze-me um pouco da tua lembrança,
aroma perdido, saudade da flor!
- Vê que nem te digo - esperança!
- Vê que nem sequer sonho - amor!

5 comentários:

Rosângela Cunha disse...

Sempre que venho aqui
fico meio saudosista...
Beijo, Ney! exelente
sábado!

heli disse...

Ney.
Esses versos de Cecília são belíssimos.Como ela consegue nos tocar a alma, os sentimentos!!...
Aqui também temos hoje, um céu azul, muito lindo.Isso é bom, vai dar para aproveitar o fim se semana prolongado.
Estou me preparando para ir para a chácara passar um tempo com o meu pai.Ele já está com idade bem avançada e quero curtir a companhia dele enquanto isso é possível.
Bom feriado...
beijos

FERNANDA & POEMAS disse...

QUERIDO NEY, BELA POSTAGEM AMIGO ... GOSTEI MUITOOOOOOOOOOOOOO... VOTOS DE UM BOM DOMINGO... ABRAÇO-TE COM CARINHO,
FERNANDINHA

Fernanda disse...

Amigo Ney,

Que bonito dia...aqui o tempo também continua bom. Há dias para tudo, mas os últimos têm sido como nós chamamos "Verão de São Martinho", bom para comer castanhas e provar o vinho novo.

Adorei o poema da Cecília Meireles, lindo demais.

Bfs. para toda a equipa e abraços
da amiga,

ney disse...

Obrigado pelas presenças amigas, por suas palavras carinhosas, interagindo, chegando junto.
Cecilia Meireles nos disse de todos os tempos, nos encantou pela eternidade, como em Cânticos II:
Não sejas o de hoje. Não suspires por ontens ... Não queiras ser o de amanhã. Faze-te sem limites no tempo. Vê a tua vida em todas as origens. Em todas as existências. Em todas as mortes. E sabe que serás assim para sempre. Não queiras marcar a tua passagem. Ela prossegue: É a passagem que se continua. É a tua eternidade ... É a eternidade. És tu.
Ótimo final de semana/ney.