09 outubro 2009

Rubem Alves


"Enquanto a sociedade feliz não chega, que haja pelo menos
fragmentos de futuro em que a alegria é servida como
sacramento, para que as crianças aprendam que o
mundo pode ser diferente.
Que a escola, ela mesma, seja um fragmento do futuro..."
Rubem Alves

9 comentários:

ney disse...

Simples, sábio e verdadeiro. Mandou bem, heli.
E aqui chove chuva sem parar. bjs/ney.

Sid disse...

Heli, muito bonito! Como disse o Ney, uma grande verdade. A escola sim é um fragmento do futuro, mas enquanto não houver o devido respeito ao tão maltratado e desvalorizado professor, esse fragmento nunca deixará de ser o que é.

heli disse...

Ney e Sid.
A educação, como um todo, vem sendo deixada de lado em nossa sociedade.A escola está cada vez mais ameaçada em sua estrutura.Ela assumiu papéis destinados à familia e seu principal objetivo, está sendo deixado de lado.Os cursos de formação de professores, estão deixando a desejar e os professores além de serem desvalorizados sofrem os efeitos dessa má formação. A escola está cada vez mais, fadada ao fracasso...
Rubem Alves é um dos maiores educadores brasileiros e nos aponta caminhos de melhoria na educação.
bjs

Carlos Albuquerque disse...

heli.
O problema do sistema de educação do meu país (não conheço o do Brasil, mas pelo que escreveu...)é, como o de muitos outros, o ter sido projectado tendo por base uma matriz visando esse monstro a que chamamos mercado.
A escola é hoje um lugar sem lugar, como diria Foucault. Coarcta a criatividade de professores e alunos.
Inibe a existência de uma pedagogia da empatia entre professores, alunos e famílias (encarregados de educação, como se diz por cá).
Isso leva a que o desinteresse, a violência e a indisciplina vão grassando pela escola.
A insuficiente formação dos professores e a sua recusa em serem avaliados, fugindo para o protesto, como acontece em Portugal, também em nada ajudam!
Veja, heli, a hierarquização das matérias de ensino...Porque não entram a música e dança, por exemplo, nos curriculos em pé de igualdade com outras disciplinas?
Enfim, este tema dava para ficarmos aqui conversando...
Fez bem em colocá-lo neste seu espaço, através de Rubem Alves - que fragmento do futuro estamos nós a construir?
BJS e um abraço deste lado do mar.
Bom FDS
PS- se este comentário chegar em duplcado, desculpe, estou com problemas no browser.

Fernanda disse...

Olá Heli,

Sabe que eu, como costumo dizer, por acidente também fui professora, mesmo :(
Pois é, fui... não sou louca e felizmente tenho outras saídas, uma delas é dar aulas em casa.

Se nada for feito, por exemplo, seguindo o exemplo de Espanha já este ano em vigor, vamos acabar por ter adultos completamente iletrados e muitos gangs de rufiões.

O ensino em Portugal está nas ruas da amargura, pior é impossível.

Beijos

julimar disse...

Oi Heli

Acredito que não basta esperarmos por uma sociedade feliz. Depende de nós começarmos a mudar o mundo que vivemos, começando pela família, pelo trabalho, pelo grupo religioso enfim onde estivermos...
Já dito, se cada um fizer sua parte, poderemos todos enfim desfrutarmos de uma sociedade mais justa, mais feliz.

Um bom fnal de semana
Beijos

Julimar

heli disse...

Carlos.

Falar em Educação, escola, alunos, professores, parece ser um tema não muito agradável, tanto que fugimos dele(rs).
Aqui no Brasil é feita avaliação do desempenho dos alunos através de provas.Temos a chamada Prova Brasil, que acontece de dois e dois anos.
O Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb) foi criado em 2007 para medir a qualidade de cada escola e de cada rede de ensino. O indicador é calculado com base no desempenho do estudante em avaliações do Inep e em taxas de aprovação. Assim, para que o Ideb de uma escola ou rede cresça é preciso que o aluno aprenda, não repita o ano e frequente a sala de aula.

Para que pais e responsáveis acompanhem o desempenho da escola de seus filhos, basta verificar o Ideb da instituição, que é apresentado numa escala de zero a dez. Da mesma forma, gestores acompanham o trabalho das secretarias municipais e estaduais pela melhoria da educação.

O índice é medido a cada dois anos e o objetivo é que o país, a partir do alcance das metas municipais e estaduais, tenha nota 6 em 2022 – correspondente à qualidade do ensino em países desenvolvidos.

Concordo contigo quando diz que a música e dança deveriam fazer parte nos curriculos em pé de igualdade com outras disciplinas, mas isso parece estar longe de acontecer.
Os problemas são muitos, temos alunos que não reconhecem todas as letras do alfabeto cursando o terceiro ano do Ensino Fundamental.
O número de analfabetos funcionais é muito grande...
Creio ainda que, aí em seu país as coisas estejam melhores do que aqui no Brasil...

Bjs e outro abraço deste outro lado do mar.
heli

heli disse...

Ná.

A situação da educação aqui no Brasil é péssima.Aqui temos muitos alunos que chegam às Universidades, completamente analfabetos.
Quanto a ser professora é algo que gosto muito.Na sala de aula esqueço o resto do mundo.Adoro meus alunos e sei que você sente o mesmo com seus "alunos".
Beijos e obrigada por estar sempre nos visitando.
heli

heli disse...

Julimar.
É verdade, temos que fazer a nossa parte para conseguir uma sociedade mais feliz.Essa sociedade pode chegar, com o empenho de cada um em seu espaço vivencial.
Beijos
heli