12 outubro 2009

PESCARIA (vídeo clique aqui)










Clique sobre as imagens para ampliá-las (fotos ney) - Hoje, 12/10/2009, na orla de Icarai/Itapuca (Niterói). Os pescadores ai pegaram uns bons peixes. Lá na adolescência eu pescava, mergulhava, ficava com pena do peixe e devolvia (coisa de doido). Não sei se deveríamos ser carnívoros, nunca entendi isso direito. Assim sendo coloquei a poesia da Cecília Meireles.
Pescaria - Cecilia Meireles

Cesto de peixes no chão.
Cheio de peixes, o mar.
Cheiro de peixe pelo ar.
E peixes no chão.

Chora a espuma pela areia,
na maré cheia.

As mãos do mar vê e vão,
as mãos do mar pela areia
onde os peixes estão.

As mãos do mar vêm e vão,
em vão.
Não chegarão
aos peixes do chão.

Por isso chora, na areia
a espuma da maré cheia. (Clique no TÍTULO para o vídeo).

7 comentários:

Pollyanna disse...

Puxa, é mesmo: porque afinal comemos carne? Isso deveria ser contra as leis da natureza.

Pensando bem, as plantas também são seres vivos. Não deveríamos comer seres vivos!

Temos de cuidar da natureza com carinho!

FERNANDA & POEMAS disse...

OLÁ QUERIDO NEI, MARAVILHOSAS FOTOS E UM BELÍSSIMO POEMA AMIGO... ABRAÇOS DE AMIZADE,
FERNANDINHA

Carlos Albuquerque disse...

Ney.
O vídeo que vc colocou, baseado no poema da Cecilia Meireles, é uma obra de arte. Parabéns!
Essa de comer carne, também faço a mesma pergunta. Sabe, um dia li um texto de investigação cientifica sobre o bicho homem. Lá se dizia que a nossa espécie virou inteligente desde que começou a comer peixe!!!
Por causa do fósforo e essas coisas...!
Dá para acreditar?
Um abraço, Ney

ney disse...

Pollyanna, Fernanda, Carlos,
Obrigado pela presença e participação. Pois é, como bem pouco carnes, no embalo desses costumes que fizeram parte do caminhar, mas estou certo que não sentiria falta ficar sem esse pouco, tantos alimentos deliciosos na natureza. Acho mesmo que a saúde agradeceria. Abraços/ney.

Fernanda disse...

Olá amigo Ney,
fotos fastásticas.

O poema da Cecília Meireles é lindo.
Quando era mais miuda e se fazia a pesca de arrasto nas nossas praias, assisiti a muitas cenas deste género. Ficava ali boqiaberta só a ver...

Abraço

ney disse...

Fernanda,
São muitas as colônias de pesca em Niterói, devido a essas águas protegidas (enseadas) da Baía da Guanabara, então ainda se vive muito essa atividade, barcos chegando e partindo para alto mar, comunidades enormes que vivem da pesca, fábricas de conservas, mercado do peixe, as festas tradicionais (São Pedro etc.). São lugares tranquilos, sem trânsito, um cotidiano sem pressa, pescadores costurando suas redes. Pelo mesmo motivo Niterói tem muitos clubes náuticos, velejadores famosos, regatas, vilas inteiras que também vivem das atividades dos estaleiros. Temos mesmo um bairro chamado Portugal Pequeno. Houve um tempo que as baleias vinham ter suas crias dentro da Baía, dai as atividades chamadas de ARMAÇÃO. Mas essas das fotos são pescas amadoras, junto às praias, apenas para o sustento do pescador. A vocação para o mar ficou desde a chegada dos portugueses. Vale citar também as diversas fortificações, até hoje muito bem preservadas, um rico patrimônio histórico e turístico. Infelizmente a cidade cresceu e perdeu muito dessas suas características, a ponte nos integrou ao grande Rio de Janeiro. Mas resistem alguns pontos de vida sossegada, uma natureza privilegiada. Nasci no Rio, mas desde a adolescência veio a família para cá e ficamos. Abraço/ney.

Francisco Vieira disse...

Bom dia.
Tomei a liberdade e usei uma destas suas fotos no meu blog, identificando a fonte. Espero que nao se incomode.
Cumprimentos
Francisco