12 setembro 2009

Para uma noite de sábado... Florbela Espanca


Anseios

Meu doido coração aonde vais,
No teu imenso anseio de liberdade?
Toma cautela com a realidade;
Meu pobre coração olha que cais!

Deixa-te estar quietinho! Não amais
A doce quietação da soledade?
Tuas lindas quirneras irreais,
Não valem o prazer duma saudade!

Tu chamas ao meu seio, negra prisão!
Ai, vê lá bem, ó doido coração,
Não te deslumbres o brilho do luar!...

Não 'stendas tuas asas para o longe..
Deixa-te estar quietinho, triste monge,
Na paz da tua cela,a soluçar...

10 comentários:

Barbara disse...

Não ouso comentar Florbela mas comento seu bom gosto.

Dulce disse...

Barbara

Que gentileza a sua! Muito obrigada.

Fernanda disse...

Amiga Dulce,

Agora não aguentei, o nó na garganta e os olhos rasos de água.

A Florbela Espanca tem este efeito em mim.

Beijo

Dulce disse...



Em mim também, minha amiga. Às vezes penso que, se fosse poetisa, esses seriam versos escritos por mim, porque exprimem muito dos meus sentimentos...
Beijos e lindo domingo.

heli disse...

Dulce.
Estou meio sumida, mas tenho sempre dado uma passada por aqui.
Linda poesia, muito boa a escolha da postagem.
Belo domingo para você e seus familiares.

Paloma disse...

aodrei o poema

Dulce disse...

Heli

Ah, minha amiga, o importante é que você fique bem. Venha quando puder, estaremos sempre aqui de braçoa e corações abertos para voce.
Que seu domingo seja lindo.
beijos

Dulce disse...

Paloma

Obrigada.
Foi um prazer te-la aqui.

Irene Moreira disse...

Olá Dulce. LIndo poema. . . como alimenta nosso coração absorver essa letra com sentimentos tão profundos. Bom domingo. Beijos

Dulce disse...

Irene Moreira

Florbela sempre nos toca profundamente,
Obrigada e bom final de domingo para você também.

bjs