15 setembro 2009

Hoje eu trago Mario Quintana



VIDA

Não sei
o que querem de mim essas árvores
essas velhas esquinas
para ficarem tão minhas só de as olhar um momento.

Ah ! Se exigirem documentos aí do Outro Lado,
extintas as outras memórias,
só poderei mostrar-lhes as folhas soltas de um álbum de imagens:
aqui uma pedra lisa, ali um cavalo parado
ou
uma
nuvem perdida,
perdida...

Meu Deus, que modo estranho de contar uma vida!

4 comentários:

Fernanda disse...

Amiga Dulce,

Completamenre de acordo com a última frase.
Hoje preciso de me animar, só que não há nada nem ninguém que consiga fazê-lo.

Amanhã será melhor...assim espero!!!
Beijos

Dulce disse...



Em frente, minha amiga, esses momentos passam. Busque la no fundinho de sua alma um momento feliz para recordar, uma presnça... Lembrando bons momentos e gente querida, sempre melhoramos um pouco nosso ânimo.
beijinhos e fica bem.

ney disse...

Lindo demais! E como nos dizem as árvores, as esquinas. Hoje eu não sei mais, os carros passam correndo, não temos segurança, ninguém senta no meio-fio (guia) para prosear. Que pena! bjs/ney.

Dulce disse...

Ney

Só quem viveu os tempos de sentar na guia, no portal, numa cadeira colocada à noite na calçcada para uma prosa entre vizinhos é que sabe...
bjs