24 julho 2009

Manoel Bandeira para sua manhã


Andorinha

Andorinha lá fora está dizendo:
— "Passei o dia à toa, à toa!"

Andorinha, andorinha, minha cantiga é mais triste!
Passei a vida à toa, à toa . . .

8 comentários:

Isabel José António disse...

Querida(o) Amiga(o) Bya,

Parabéns por tão boa comparação entre a vida duma amdorinha e uma vida pessoal.

Em Portugal existiu (já morreu) um poeta popular que era iletrado mas falava tudo em verso. E só a perseverança de uns quantos estudiosos permitiu que se recolhessem imensos versos seus. Era da cidade de Lagos, no Sul de Portugal. O seu nome era António Aleixo.

Ele tem uma quadra profundíssima que retrata este seu texto sobre a andorinha:

O homem sonha acordado
Sonhando a vida percorre
E desse seu sonho dourado
Só acorda quando morre

Embora nada tendo a ver com este seu texto, não resisto a reproduzir uma outra quadra:

Vós que lá do vosso império
Prometeis um mundo novo
Cautela, que pode o povo
Querer um mundco novo a sério

Um grande abraço

José António

heli disse...

Que lindo Dulce!
Em poucas palavras o poeta consegue dizer muitas coisas.
Bjs

Dulce disse...

Heli,

Bem próprio de Manoel Bandeira, cheio de lirismo, de ternura, sempre.
beijos

Dulce disse...

Isabel José António

seja muito bem vinda.
Obrigada por suas palavras e por nos trazer a poesia de Antonio Aleixo.
Confesso que não o conhecia, mas vou tentar sanar essa falha.
Gostei imenso das quadras. Muito apropriado o seu comentário.
Muito obrigada, em nome de todos nós e volte sempre.
Um abraço,

Dulce

12:42 PM

**Bya** disse...

Puro que se alcance vários voos.
Beijos e bom final de semana

Dulce disse...

BYa

Obrigada, bom final de semana para você também.
bjs.

João Rodrigues disse...

Andorinhas...andorinhas...
irmãs das coisas que eram minhas


Bons voos

Dulce disse...

João Rodrigues

Bonito... delicado e poeético.
Obrigada pela presença em voo suave pelos ares do Chega-junto.