30 agosto 2009

Um momento com Cecília Meireles (2)


SERENATA

Permita que eu feche os meus olhos,
pois é muito longe e tão tarde!
Pensei que era apenas demora,
e cantando pus-me a esperar-te.

Permite que agora emudeça:
que me conforme em ser sozinha.
Há uma doce luz no silencio,
e a dor é de origem divina.

Permite que eu volte o meu rosto
para um céu maior que este mundo,
e aprenda a ser dócil no sonho
como as estrelas no seu rumo.

6 comentários:

Fernanda disse...

Querida Dulce,

Lindo mas tão triste.
Lido muito mal com a morte... sobretudo com a dos que mais amo, não sei o que fazer para alterar isso em mim.

Falemos antes de vida, mesmo que dorida???

Beijos

Dulce disse...

Fernanda

Mas, minha amiga, bem poucas pessoas conseguem lidar tranquilamente com esse assunto.
Então falemos da vida que hoje chega num dia iluminado, azul, lindo.

Beijinhos

heli disse...

Dulce.
A poesia sempre é bem vinda.
Muitas vezes nos sentimos tristes, assim como os poetas...
Muitas vezes estamos nos sentindo só e a poesia serve como companheira...
Hoje temos um lindo dia por aqui também.
beijos carinhosos

Dulce disse...

Heli

É preciso aproveitar um dia assim, azul, para aquecer a alma e renovar as cores em torno de nós.
Por aqui estamos em fim de verão e as temperaturas já começam a cair. Vai começar, para mim, a estação mais bonita e elegante do ano, o outono, e só lanento que este ano não possa ficar aqui para vive-la, preciso retornar ao Brasil. Mas no próximo ano pretendo agendar meus compromissos para poder passar mais tempo por aqui.
beijos

MEUS POEMAS disse...

Que linda essa poesia, ela é demais!
Bjs e parabéns pelo seu bom gosto
Gena Maria

Dulce disse...

Meus Poemas

Muito obrigada, Gena Maria, fico feliz que tenha gostado.
Beijos