26 agosto 2009

Drummond, sempre Drummond...

Memória

Amar o perdido
deixa confundido
este coração.

Nada pode o olvido
contra o sem sentido
apelo do Não.

As coisas tangíveis
tornam-se insensíveis
à palma da mão.

Mas as coisas findas
muito mais que lindas,
essas ficarão.
Carlos Drummond de Andrade

2 comentários:

Fernanda disse...

Lindo Heli!!!!

Verdade absoluta.
Drummond parece que lê o meu diário mais secreto.

Obrigada.
Beijos

heli disse...

Ná.
Querida amiga.
Sua presença aqui é sempre bem vinda.Gosto muito dos seus comentários.
Drummond parece ler o diário de todos nós.
Ele nos toca alma com seus poemas.
Bjs