27 janeiro 2010

A Criança Que Ri na Rua

A CRIANÇA que ri na rua,
A música que vem no acaso,
A tela absurda, a estátua nua,
A bondade que não tem prazo

- Tudo isso excede este rigor
Que o raciocínio dá a tudo,
E tem qualquer cousa de amor,
Ainda que o amor seja mudo.
Fernando Pessoa

4 comentários:

Wanderley Elian Lima disse...

Olá Ney
Ainda que amor seja mudo, ele será notado pelo seu silêncio.
Abração

Clecilene Carvalho disse...

Só mesmo o amor que apesar de mudo consegue falar tão alto.

heli disse...

É verdade.
O Amor sempre encontra seu modo de se fazer presente mesmo em seu silêncio.
beijos

Amapola disse...

Fernando Pessoa!
Amo...