24 março 2009

Analfabetos funcionais

Município do Rio tem 25 mil estudantes considerados analfabetos funcionais

Plantão | Publicada em 20/03/2009 às 23h47m

O Globo com informações do Jornal Nacional

RIO - A Prefeitura do Rio promete que os 25 mil alunos que foram considerados analfabetos funcionais no provão que avalia a capacidade de leitura de alunos dos quarto, quinto e sexto anos da rede municipal. Duzentos e dez mil alunos fizeram a prova, que reprovou 14%. Segundo o IBGE, em todo o país, os brasileiros que não compreendem o que leem somam um quinto da população com mais de quinze anos de idade.

Por que um aluno que frequenta a sala de aula não consegue aprender? Esta é uma pergunta que faz professores, diretores, estudiosos da área da educação procurarem respostas. E não existe uma só. A solução depende de muitas mudanças e todos concordam que a escola, como é hoje, anda precisando de uma boa transformação.

- A garotada fica bombardeada por esses recursos de mídia, de tecnologia, quando ela chega para se alfabetizar, fica presa ao lápis, ao papel, ao livrinho, ao texto então era bom que a escola abrisse um pouco mais as portas para a inovação - opina Eloiza Oliveira, professora UERJ.

- Cada criança tem o direito, tem a chance de ser alfabetizada antes de chegar aos 8 anos de idade - declara Marie-Pierre Poirier, representante do Unicef no Brasil.


Fonte: http://oglobo.globo.com/educacao/mat/2009/03/20/municipio-do-rio-tem-25-mil-estudantes-considerados-analfabetos-funcionais-754938311.asp

4 comentários:

Dulce disse...

E pensar que tinhamos um lapis, um caderno e uma cartilha, apenas. Três horas de aula por dia, uma professora muito respeitada, e isso era mais doque suficiente para sermos alfabetizaddos...

heli disse...

É verdade Dulce, no nosso tempo não acontecia de sairmos do primeiro ano sem saber ler e escrever.
Atualmente é uma realidade NACIONAL essa situação de analfabetismo e não há previsão de melhoria, no quadro geral apresentado pelas pesquisas feitas pelo Ministério da Educação.
Na escola onde trabalho, há alunos na quarta série que não sabem ler nem escrever e o "sistema" não permite que sejam reprovados.Não é mais o professor quem decide se o aluno "avança" ou não, mas sim uma equipe que analisa a situação de cada estudante e prevalecem os números dos "não retidos" em detrimento da qualidade na aprendizagem dos alunos.

Jardeco7 disse...

Só xingando a mãe! Agora a culpa é do lápis, do caderno e do livrinho. A reportagem quer discutir o que? Que tem que usar tecnologia para educar? Para chamar a atenção e causar interesse no aluninho. Acho mais fácil explicar que se não aprender a ler e fazer conta usando o lápis, o caderno e o livrinho, não terá acesso a porra nenhuma.

heli disse...

Esse é o Jards que eu conheço!
Tá feia a coisa meu amigo e tende a piorar ainda mais...