30 agosto 2008

RIO COM CHUVA E FRIO


Clique sobre a imagem para ampliá-la.

Aqui no Rio foi um sábado de chuva e frio, depois de um julho e agosto quase todo de sol e céu azul. Bem, a vegetação estava mesmo precisando, o ar muito seco, o nível dos rios e represas, então foi uma festa para a natureza. O jeito é ficar mais tempo debaixo das cobertas, almofada, pipoca e edredom, uma caixa de bom-bom, um bom filme ou livro, chá quente e lareira, jogar cartas, uma boa mesa e bebida quente, um bom papo ou só sussurro.

A CHUVA E EU - Tere Penhabe.


UM DIA DE CHUVA - Fernando Pessoa (Alberto Caeiro)
Um dia de chuva é tão belo como um dia de sol.
Ambos existem; cada um como é.
****************************************
Cai chuva do céu cinzento
Que não tem razão de ser.
Até o meu pensamento
Tem chuva nele a escorrer.
Tenho uma grande tristeza
Acrescentada à que sinto.
Quero dizer-ma mas pesa
O quanto comigo minto.
Porque verdadeiramente
Não sei se estou triste ou não.
E a chuva cai levemente
(Porque Verlaine consente)
Dentro do meu coração.
Fernando Pessoa, 15-11-1930.

Um comentário:

Dulce disse...

Pois é, meu amigo, seu Rio é lindo até debaixo de chuva... E se a isso acrescentarmos versos de Fernando Pessoa, ai então... é até covardia!... rs...
Mas chuva sempre foi inspiradora de belos versos, de lindos textos, de bons momentos...