08 outubro 2010

AVISO

Este alerta está colocado na porta de um espaço terapêutico.

O resfriado escorre quando o corpo não chora.
A dor de garganta entope quando não é possível comunicar as aflições.
O estômago arde quando as raivas não conseguem sair.
O diabetes invade quando a solidão dói.
O corpo engorda quando a insatisfação aperta.
A dor de cabeça deprime quando as duvidas aumentam.
O coração desiste quando o sentido da vida parece terminar.
A alergia aparece quando o perfeccionismo fica intolerável.
As unhas quebram quando as defesas ficam ameaçadas.
O peito aperta quando o orgulho escraviza
O coração enfarta quando chega a ingratidão.
A pressão sobe quando o medo aprisiona.
As neuroses paralisam quando a"criança interna" tiraniza.
A febre esquenta quando as defesas detonam as fronteiras da imunidade.

Preste atenção!
O plantio é livre, a colheita, obrigatória ... Preste atenção no que você esta plantando, pois será a mesma coisa que irá colher!!

http://mais.uol.com.br/view/e8h4xmy8lnu8/aviso-na-porta-de-um-consultorio-medico-0402993470D08963C6?types=A&

5 comentários:

Wanderley Elian Lima disse...

Um sábio lembrete. Realmente só colhemos o que plantamos, é a lei da vida.
Um abraço

Colecionadora de Silêncios disse...

Espaço interessante este! Gostei de tudo por aqui!

O texto faz todo sentido... o corpo sempre padece das dores da alma.

Beijos e seguindo-te!

ney disse...

Valeu, gente, obrigado por suas presenças amigas e comentários. Também gostei do texto, bem bolado, e diz bem desse equilíbrio corpo e alma. Abraços/ney.

Luís Coelho disse...

Lindo espaço e ideias abertas .
Passarei mais vezes

ney disse...

Obrigado, Luis, pela presença amiga. Apareça sempre. Abraço/ney.