20 março 2010

OUTONO



CANÇÃO DE OUTONO (foto ney)

Perdoa-me, folha seca, não posso cuidar de ti. Vim para amar neste mundo, e até do amor me perdi. De que serviu tecer flores pelas areias do chão, se havia gente dormindo sobre o próprio coração? E não pude levantá-la! Choro pelo que não fiz. E pela minha fraqueza é que sou triste e infeliz. Perdoa-me, folha seca! Meus olhos sem força estão velando e rogando áqueles que não se levantarão... Tu és a folha de outono voante pelo jardim. Deixo-te a minha saudade - a melhor parte de mim. Certa de que tudo é vão. Que tudo é menos que o vento, menos que as folhas do chão... Cecília Meireles

5 comentários:

Wanderley Elian Lima disse...

Momento de total inspiração Ney. Parabéns.
Um abraço

Tânia Meneghelli disse...

Oi Ney!

Passando pra ver suas novidades. E que bela surpresa encontrar Cecília Meireles! Momento sublime.

Bom final de semana!

Beijoca!

ney disse...

Obrigado, Wanderley e Tânia, pelas presenças amigas. Cecilia Meireles sabia mesmo dizer com poesia. Abraços. Bom domingo!

CeliaAlma disse...

Lindo, fantástico ver os humanos serem consistentes e poéticos, nós somos mais Terra a Terra mas adoramos devaneios

ney disse...

CeliaAlma,
Obrigado pela presença amiga. Já estive no seu blog retribuindo a visita, deixei lá um comentário. Abraço/ney.