25 agosto 2011

“Humildade



Senhor, fazei com que eu aceite

minha pobreza tal como sempre foi.


Que não sinta o que não tenho.

Não lamente o que podia ter

e se perdeu por caminhos errados

e nunca mais voltou.


Dai, Senhor, que minha humildade

seja como a chuva desejada

caindo mansa,

longa noite escura

numa terra sedenta

e num telhado velho.


Que eu possa agradecer a Vós,

minha cama estreita,

minhas coisinhas pobres,

minha casa de chão,

pedras e tábuas remontadas.

E ter sempre um feixe de lenha

debaixo do meu fogão de taipa,

e acender, eu mesma,

o fogo alegre da minha casa

na manhã de um novo dia que começa.”

Cora Coralina

4 comentários:

Eva disse...

Que linda Cora Coralina, é uma oração para ser repetida, beijos Heli, adoro passar por aqui.

heli disse...

Eva.

As vezes nos esquecemos das coisas simples e deixamos de lado coisas que nos são preciosas.
beijos

✿ chica disse...

Linda oração de Cora!Humildade falta tanto no mundo! beijos,chica

Marcelo Portuária disse...

Belíssimos versos de Cora Coralina; cheio de serenidade e contentamento - renega pois, toda a afoiteza da vida em sociedade de nosso tempo. Renova o circuito humano na singeleza das coisas.

Marcelo Portuária

Visitem:
alfarrabiosdeoutrora.blogspot.com
cidadaniadoscapitais.blogspot.com